quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Claudinei chegou: vai precisar do seus comandados e do respaldo da presidência do Clube



O Avaí apresenta hoje seu novo técnico: Claudinei Oliveira
Desejo ao novo comandante do nosso Avaí um bom trabalho e que juntamente com seus comandados e com o respaldo da executiva do Clube, consiga bons resultados na luta para, primeiramente, nos manter na série B.
Com certeza ele não é o 'salvador da pátria'. Vai precisar trabalhar muito, tirar o máximo desse elenco limitado, ter da presidência o respaldo para o seu trabalho e o cumprimento do que lhe foi prometido e claro, o salários mantidos em dia dos profissionais do Clube.

Foto: Novo técnico do Avaí, Claudinei Oliveira sendo recebido no Aeroporto Hercílio Luz por Vinícius, Supervisor do Leão. Jornalista Janniter de Cordes

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Ufa, Leão!

Rômulo marcou o primeiro do Avaí. Foto: ESPN

O Avaí fez o que mais necessitava: venceu!
Venceu jogando com muita vontade superando todas as suas dificuldades e a pressão de estar beirando a zona do rebaixamento;
venceu sob o comando do Evando que com algumas mudanças, principalmente no ataque com a saída do William, no meio do campo e a boa estréia do zagueiro Betão conseguiu assim vencer fora de casa, após 18 partidas, com a entrega de todos os jogadores na busca desses três importantes pontos na tabela.

Avaí 2 x 1 Sampaio (gols do Avaí: Rômulo e Lucas Coelho)
Nada que mascare as nossas limitações, nada que não nos mantenha alertas e focados para continuar na luta por nossa permanência. Vencemos o último colocado, isso é fato!
Continuo não gostando do futebol do Luan e percebo que Renato acha que joga mais do que sabe jogar na realidade. 
Evando conseguiu essa vitória juntamente com a boa vontade de seus atletas. "Comprometimento" foi a palavra que Evando usou após o jogo para descrever os jogadores que estiveram hoje em campo.
Que o nosso Avaí consiga retomar a caminhada de vitórias, pois são necessárias para resgatar a auto estima da nossa torcida e dos jogadores comprometidos com a sua profissão.
Responsabilidade e profissionalismo dos atletas e principalmente do Clube, são a chave para um Avaí mais próximo da sua história que sempre foi escrita com raça e determinação.
Evando declarou que no momento não quer se efetivar como treinador, quer um dia ter a honra de comandar o Avaí, mas disse que precisa estudar e se preparar mais. Cabe ao Clube buscar um técnico que saiba trabalhar com o atual elenco.

sábado, 20 de agosto de 2016

Avaianos: boa 'segunda' se Deus quiser!!!

Avaí Futebol Clube Oficial


18 dias para se preparar para o returno;
Uma semana de folga para os jogadores do Avaí que está na décima quinta posição na tabela;
Avaí apresenta mais dois jogadores (um zagueiro e um que joga em várias posições), num total de 14 contratações nesse ano;
Duas mudanças no horário do jogo;
Retorno do Marquinhos esperado e comemorado pela torcida;
Luan continua como titular do time;
William continua como titular do time;
André Santos continua como titular do time;
2014 torcedores na Ressacada;
Avaí toma dois gols no primeiro tempo;
Avaí toma mais um gol no segundo tempo;
Avaí não mostra a mínima reação em campo;
Silas coloca Marquinhos em campo, após 9 meses parado, quando nem Bahia nem Avai querem saber mais de jogar bola e o campo está pesado em decorrência da chuva;
Diretor de futebol diz que precisa de um "fato novo" e anuncia a demissão do técnico Silas.
Avaianos,  boa segunda se Deus quiser, porque precisamos rezar muito para permanecer nela!


quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Avaianos(as) o que devemos fazer agora?



Muito se pode escrever sobre os erros cometidos por nosso Clube nesses últimos anos:
Escolhas equivocadas para a direção e gerência do Futebol; elencos inchados e sem qualidade; descuidos administrativos que nos valeram perda de pontos; erros administrativos no financeiro do Clube que nos deixaram com salários atrasados por vários meses; erro na negociação com a CEF que nos fez perder seu patrocínio; erro imperdoável ao colocar patrocínio Chinês por meses na camisa do time profissional sem receber nenhum dinheiro; erros na busca de novos patrocinadores e principalmente, escolha equivocada na sucessão do Presidente João Nilson Zunino. 

O Avaí vem se 'arrastando' em campo e fora dele. 
O números do turno desse brasileiro refletem clara e assustadoramente os números que o catarinense já havia nos mostrado. Não poderia ser diferente quando não se faz nada diferente e se repete as mesmices amadoras dentro de um Clube profissional, que levou anos para alcançar o status que o Avaí alcançou a partir de 2008.
A falta de uma gestão responsável e qualificada foi 'rebaixando' o Avaí como se 2008, 2009, 2010 não existissem e essa 'pinçada' nos anos que deveriam nos elevar e nos fortalecer cada vez mais, culminou na renúncia do presidente Nilton. Articulada dentro do Clube, os articuladores falharam na hora de indicar um nome para assumir a presidência vaga. 
Francisco Battistotti, vice presidente da chapa Nilton Macedo, foi 'consultado' pelos 'articuladores' para renunciar também, mas não lhe foi apresentado um nome. 
Battistotti atuava no Clube quando os erros bateram no teto da Ressacada, mas não havia ninguém para substituí-lo. Ora, o cara deu um soco na mesa ao saber da renúncia articulada seguida pela falta de um nome para assumir. Ele então deixa claro que vai assumir  a presidência do Clube, como manda o Estatuto. 

O que fazer agora, nesse momento, onde o risco de cair para uma série C é real?
O que fazer agora onde os contratos feitos pela gestão Nilton exigem rescisões absurdas?
O que fazer agora quando o elenco está composto por jogadores pagos por outros Clubes; por jogadores de um empresário que o Avaí deve favores, por jogadores da base que podem ser levados por qualquer quantia e agora, por jogadores 'escolhidos' pelo atual técnico?
O que fazer agora se não temos condições de segurar nenhum bom jogador da nossa base, do nosso elenco, quando vem qualquer tipo de oferta por eles?
O que fazer agora se ainda não temos um patrocinador master? 
O que fazer agora quando precisamos de um gerente de futebol qualificado?
O que fazer agora quando temos um elenco inchado e não temos dinheiro para rescindir para não cair com mais ações na justiça do trabalho, e alguém que saiba contratar sem nos deixar reféns?
O que fazer quando  'notáveis avaianos' já não atuam no Clube, e não sem razão, buscando soluções financeiras?
O que fazer agora quando faltou no Avaí alguém que soubesse administrar o Futebol com uma gestão qualificada na formação do elenco dentro da realidade financeira do Clube, nas condições contratuais e com atenção na administração da base?

Decisões precisam ser tomadas, mudança de rumo é urgente. Mas os erros não vão sumir de uma hora pra outra como num passe de mágica. Aqui não exite milagre. Aqui precisa existir Avaianos. 
Nós existimos e somos muitos. 
A condição atual é de extrema dificuldade, é extremamente  séria e difícil por tudo que citei acima, e sei que faltou citar tantos outros erros.
Nós vamos ajudar o nosso Avaí nesse momento difícil ou vamos ficar 'articulando' fantasmas para ocupar um lugar ocupado até 2017?
Todos sabem da minha posição frente a essa gestão pós-Zunino. 
Mas todos sabem também o quanto sou Avaiana, e o 'Ser-Avaiana' está acima de tudo.
Cada um de nós, Avaiano, precisa dar o melhor de si. Cada um do seu jeito tem que estar não só presente, mas estar com o Clube. 
Cada um precisa fazer o que pode e o que deve.
Ir aos jogos e  associar-se é a verdadeira 'Avaianidade' e com certeza, esse ato vai refletir a grandiosidade dos Grandes: o torcedor Avaiano. Quem puder agregar mais e contribuir mais, que não se esconda no momento atual para aparecer quando tudo estiver bem.
Que esse seja o reflexo daqui pra frente. Porque o espelho que está refletindo o catarinense 2016 nesse turno do brasileiro que se encerrou, é mentiroso. Seu reflexo não é Azul e Branco!

O Avaí é grande, nós somos numerosos.
Eu vou ajudar como der e como eu puder.
2017 vai chegar (e os anos seguintes também, o Avaí é 'imorrível'), e ele precisa nos encontrar estruturados para tocar em frente. Arrumar a casa a partir de agora para, com união e seriedade, voltar a ter a casa que reflete a nossa alma: A casa do Leão!
Refleti muito: Eu penso assim e vou agir assim!

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Brasil (de Pelotas): em 19 minutos amansou o Leão



Primeiro tempo:
Cinco minutos: Gol do Brasil (de Pelotas) falha do do zagueiro André Santos.
Seis minutos: Rômulo deixa William na cara do gol. Ele não faz.
17 minutos: Segundo Gol do Brasil (de Pelotas)  falha do volante Judson que não impediu a jogada e depois falha da defesa Avaiana que foi totalmente envolvida.
19 minutos: Terceiro Gol do Brasil (de Pelotas) Cobrança de escanteio, André Santos errou em bola e não cortou o cruzamento.
28 minutos: Pênalti em Rafinha. William cobrou, Eduardo Martini defendeu.
44 minutos: Rômulo fica na cara do gol, mas não marca.

Segundo tempo:
Silas volta com o mesmo time.
O Avaí não consegue nenhuma chance de gol.
19 minutos: Rafinha sai por lesão, entra Romarinho.
20 minutos: Silas substitui William, entra Tatá.
28 minutos: Silas tira D.Jardel e coloca Menezes, volante da base.
Nada mudou. O Avaí não deu um chute a gol durante todo o segundo tempo.
O Brasil jogou o segundo tempo sem ser ameaçado e segurou tranquilamente o resultado.

Capa na defesa é uma avenida; Alemão não sabe atacar; só temos um zagueiro e ele está para ser emprestado/vendido; nosso centro avante está acima do peso; não temos criação na meia cancha e Judson, que eu queria no lugar do Luan, no jogo de hoje só fez tomar o terceiro amarelo. Gabriel também tomou o terceiro.
Silas até hoje não conseguiu fazer o Avaí jogar, não mostrou nada esse ano, não está sabendo fazer esse elenco (limitado) render razoavelmente, e insiste com William em campo. William está sem condições físicas para jogar futebol. 
Nosso time também erra muito.

O Avaí se despede do primeiro turno sem conquistar nenhuma vitória fora de casa e
volta a campo no dia 20 de agosto para iniciar o returno em casa contra o Bahia.
Os jogadores estão de folga até a próxima segunda-feira.
Tá tudo, 'serto'!
A luta pela permanência continua em agosto. O Avaí precisa jogar muito mais do que vem jogando. Silas não está conseguindo fazer o time dele jogar.

Foto: Carlos Insaurriaga / Assessoria de Imprensa GE Brasil


terça-feira, 26 de julho de 2016

Vai ter que ser assim: na raça!




Muita raça e um golaço na Ressacada.
O Avaí lutou muito durante toda a partida para conquistar essa vitória que veio  num golaço de Diego Jardel. Valeu a determinação alimentada pela raça dos jogadores que souberam lutar por esses três pontos importantíssimo para a permanência do Avaí na série B. 

Uma boa partida do raçudo Alemão, do esforçado Capa, do Lucas Coelho enquanto esteve em campo (saiu no intervalo por lesão), da zaga que esteve bem postada e claro, Diego Jardel pelo golaço que determinou a nossa vitória.

Silas escalou sem inventar (só discordo de manter Luan como titular, acho Judson melhor jogador) saindo com o time que vinha dando certo: Alemão na lateral com Renato mais avançado e mantendo Lucas Coelho no time. Gabriel votou naturalmente a zaga. 

Nas substituições acho que deveria ter tirado Renato e não Jajá para a entrada de um jogador mais veloz, mas Silas optou pela entrada de Tatá. Entraram em campo ainda Judson e Romarinho. 
O Avaí não apresentou um belo futebol, mas soube lutar e buscar essa vitória na vontade e na raça. Vai ter que ser assim!

Foto: Cristiano Estrela / Agencia RBS


sexta-feira, 22 de julho de 2016

Está difícil!

(Foto: Aldo Carneiro/Gazeta Press

Difícil escrever sobre esse time do Avaí. Difícil porque amo o Clube e não quero ofender a Instituição Avaí Futebol Clube. Mas não posso me calar diante do perigo em que nos colocaram. É preciso mudar o rumo porque o abismo é logo ali.
A vontade é de xingar muito os responsáveis pela montagem desse elenco; os responsáveis pela situação em que se encontra o Avaí: refém de empresários  pela má administração e claro, aberto a receber refugos que vestem a gloriosa camisa Avaiana.
Silas errou muito hoje. Desde a escalação até nas substituições quando da expulsão de um tal de Renato Silveira que estreou na partida de hoje. Errou novamente ao precisar substituir Jajá, durante o intervalo, colocou o Toshi.
Nosso elenco é muito limitado, mas:
Luan de titular e Judson no banco? Me poupe!
Insistindo com William? Deixa o cara perder peso primeiro.
Renato Silveira?? Não sei quem é esse.
João Felipe poderia ter jogado na zaga e Alemão na lateral, mantendo Renato mais na frente. Não inventa Silas, a coisa toda já está muito ruim, não colabora pra deixar pior.

Não treinaram durante essa parada?
Que horror!!!
Primeiro tempo: Um gol tomado com 40's do primeiro tempo e outro tomado aos 45'm  e um zagueiro expulso. 
No segundo tempo tomamos mais um e no final da partida, Coelho marcou o gol de 'honra' do desconhecido, desorganizado e mal administrado Leão.
O Náutico? Estava em crise!
A luta continua para a nossa permanência na B.
Terça é na Ressacada!

sexta-feira, 15 de julho de 2016

Empate e muita chuva na Ressacada


Foto: Jamira Furlani/Avaí F.C

O Avaí no primeiro tempo chutou dez bolas no gol e o Oeste apenas uma. Pois foi esse único chute do nosso adversário que abriu o placar. Alemão tomou um drible na lateral direita e a bola foi rolada para a entrada da área. O jogador Renan Mota recebeu sem marcação e acertou um belo chute abrindo o placar com um golaço. 
Silas mexeu ainda no primeiro tempo do jogo, tirou Alemão para a entrada de Tatá. E a sorte presenteou o técnico. Jardel roubo uma bola e chutou no gol o goleiro defendeu, mas a bola sobrou nos pés de Tatá que com inteligência limpou a jogada e marcou empatando o jogo.

No segundo tempo o Avaí continuava buscando a virada e Silas substituiu Lucas Coelho (que correu e se esforçou muito nesse jogo e só não marcou um gol porque o goleiro do Oeste fez uma grande defesa) por Tauã e Jardel, saiu para a entrada de Caio César. Mas aos vinte minutos uma forte chuva encharcou o gramado surgindo muitas poças e impossibilitando a prática do futebol.  Uma pena!
Oeste é um time que toca bem a bola e tem boa movimentação. Um time muito bem treinado taticamente. O Avaí jogou abafando a saída de bola do adversário e enquanto teve gás, fez muito bem essa marcação em cima.
Jogamos pra vencer, mas faltou acertar ao menos mais uma vez a pontaria. 
Infelizmente, o Avaí, não pode tentar melhor sorte após o temporal que maltratou muito o gramado.  

terça-feira, 5 de julho de 2016

Avaí empata sem gols contra o Paraná

Divulgação do Paraná Futebol Clube

Um primeiro tempo  bem movimentado onde o Paraná teve maior posse de bola e criou mais chances de marcar, foram três as chances para abrir dos paranistas.  O Avaí não conseguiu criar nenhuma chance de gol pela falta de ligação entre o meio campo e o ataque e se arriscava no contra ataque com Rômulo e Caio Cesar, mas parava nas defesas de Marcos. O tricolor paranaense teve chances com Rafael Carioca e Lúcio Flávio, mas errou nas finalizações.

Mesmo com o  ataque Avaiano não funcionando,  Silas optou por trocar um atacante por um volante, tirando William para a entrada de Judson. A mudança de Silas fez o jogo ficar truncado no meio de campo.  A primeira chance real do Avaí foi com Rômulo, mas o goleiro do Paraná defendeu a cabeçada do nosso atacante. No final da partida a melhor e mais clara chance de gol foi nos pés de Renato: num cruzamento que veio pela esquerda, Renato furou o chute que poderia ter dado a vitória para o Avaí.

Novamente uma boa partida do goleiro Renan, da defesa Avaiana e de Rômulo. Judson tem que ser o titular desse time. Caio César foi substituído por Célio. Caio é um bom jogador, mas tem que amadurecer para poder render mais para o time, não apenas pra ele. William também fica fora da próxima partida porque recebeu o terceiro cartão amarelo.
Precisamos ter mais coragem e acreditar que também podemos vencer fora de casa. O empate não foi ruim, nos mantém brigando para permanecer na série B. Se o Avaí planeja subir esse ano, vai ter que começar a vencer fora de casa.