quinta-feira, 28 de maio de 2015

Avaí treina no Santinho sem seu capitão



Devido as chuvas na capital,  o nosso Avaí fez seu treino no Costão do Santinho como preparação para a próxima rodada do Brasileirão.
Marquinhos com dores na coxa não participou do treino e deve ficar de fora do jogo de sábado contra o Coritiba no Couto Pereira.
Time titular no coletivo: Vagner; Nino Paraíba, Emerson, Antonio Carlos, Romário; Renan, Eduardo Neto, Pablo, Renan Oliveira; Hugo e Anderson Lopes. 

Fonte e fotos: Jornalista Fabiano Linhares/Rádio CBN-Diário/RBS

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Arini urrou!



"O que me chamou muito a atenção na denúncia foi que mandaram um vídeo  com todas as agressões ou brigas que tiveram com o Marquinhos. A coisa está indo para um lado pessoal(...) 
Um auditor viu nas imagens atletas do figueirense agredindo jogadores do Avaí. Então o Avaí vai tomar atitude porque a coisa está vindo para o lado pessoa, e se está vindo para o lado pessoal vamos resolver dessa maneira.  Foi o figueirense que mandou essa imagens. Até entendo, porque o Marcos de vez em quando fez o Figueirense sentir na pele a qualidade técnica dele, a parte folclórica dele, os clássicos, os gols. Mas eu não sabia que o Marquinhos incomodasse tanto o Figueirense ao ponto de ter que mandar vídeo, editar. Deixo claro para o torcedor rival que o Marquinhos vai estar aqui na Ressacada. (...) 
Realmente o que me impressionou é o pânico que existe do rival junto ao Marquinhos. Eu não esperava que o Marcos, eu sei da qualidade e do ídolo que ele é, mas eu não imaginava que ele trouxesse realmente, que ele gera pânico e desespero ao clube e ao torcedor rival. (...)"

Parte da entrevista de Carlos Arini ao jornalista da CBN-Diário/RBS Fabiano Linhares.

terça-feira, 26 de maio de 2015

IMPRESSIONANTE!



O nosso capitão pegou 3 jogos e está fora dos jogos contra Coritiba, Atlético MG e Goiás.
Volta exatamente contra quem mais queria ele fora de campo. 
#tremedeira
Uma grande perda para o Avaí em campo, mas uma vitória fora dele.
Marquinhos poderia pegar de 4 a 12 jogos, mas o advogado do Avaí, Osvaldo Cestário, conseguiu que ele fosse julgado por 'ato hostil' e sua pena foi aliviada.
Não posso deixar de ficar impressionada com a rapidez com que esse caso, que não constava na súmula, foi julgado pelo STJD. 
Impressionante!
Muito menos deixar de me impressionar com o que vem por aí:
Em decorrência das confusões do Clássico, no ixcarpeli, foram denunciados pela procuradoria do STJD e serão julgados o maqueiro doladelá, Eduardo Costa, o Avaí e o Figueirense.
Oras, e  Argel, rei do gestual que incita torcedor? E o sr. França, que adentrou ao gramado sem estar fazendo parte do jogo tão somente para incitar os jogadores Avaianos?
O Avaí está sendo denunciado por que?
Pra perder mando de campo?
O que o Avaí tem a ver com a confusão estabelecida no gramado, doladelá, por incitações do maqueiro, do técnico e de um jogador que não fazia parte dessa partida, sendo que todos são do Figueirense?
Impressionante!
Mas impressionante mesmo é não terem achado, escavando feito arqueólogos bem intencionados, nenhuma imagem, palavra, dança ou ato hostil que possa levar o Marquinhos a julgamento por ter feito alguma coisa errada nesse clássico.
Impressionante, M10!

segunda-feira, 25 de maio de 2015

A Pátria de chuteiras não sabe mais chutar uma bola



No final de semana acompanhei alguns jogos pelo Brasileirão.
Fiquei impressionada com o futebol que estamos jogando no Brasil.
Lento, sem qualidade, estéril. Sem a menor evidência do que já foi o futebol brasileiro.
O campeonato brasileiro está recheado de peladas.
Jogos duros de se ver.
E isso não é de hoje!

Não que eu ache que não temos bons jogadores. Temos sim!
Alguns jogadores que estão disputando campeonatos fora do Brasil vem mostrando isso.
Mas são poucos. Como são poucos!
Dentro do território nacional essa qualidade se torna ainda menos visível. Quase impercebível em decorrência dos esquemas táticos, do apego ao futebol dominado pela marcação e pela falta impressionante na qualidade do passe, e mais ainda, por todas as 'podas' que vem se fazendo em jogadores criativos a muitos anos.

Ou voltamos, sem perder a modernidade, a jogar como brasileiros (para isso precisamos ser comandados por técnicos que saibam tirar a 'inhaca' que vem se instalando silenciosa e lentamente desde a conquista do Mundial de 1994, com o Parreira e seu 'futebol europeu', destruindo a beleza do futebol brasileiro em nome do Tetra) ou vamos, daqui a poucos anos, perceber que os 7 x 1 na Copa de 2014 foi tão somente um pedacinho do gigantesco iceberg que vai colidir e destruir a paixão nacional.  
A 'Pátria de chuteiras' não sabe mais chutar uma bola!

Com tão bem escreveu o nosso Nelson Rodrigues:
Pelé podia virar-se para Miguel
Ângelo, Homero ou Dante e
cumprimentá-los, com íntima efusão:
— “Como vai, colega?”


domingo, 24 de maio de 2015

Domingo fantástico


Minha foto desse domingão super fantástico: Cavalinhos

O freguês tem sempre razão!

Gol legal!


A turma do Fla e os secadores dizem que não.

Avaí 2 x 1 Flamengo 24/05/2015
Avaí 3 x 2 Flamengo 31/08/2011
Avaí 2 x 2 Flamengo 10/10/2010
Avaí 3 x 0 Flamengo 23/08/2009
O freguês tem sempre razão! Ehehehehe...

(Imagem: 'TV' Zé Dassilva)

Jogo enjoado? Chama o HuGooooLLLLL !!!

Foto: Jamira Furlani


Valeu, super valeu, a vitória.
Um jogo morno e enjoado no primeiro tempo.
Marquinhos muito adiantado, o Avaí ficou sem criação pela meia cancha. E as bolas avaianas não conseguiram chegar com qualidade no ataque. Mesmo com força pelas laterais o Avaí não conseguia criar jogadas de perigo.
O que se faz quando está enjoado?
Chama-se o 'Hugo":
- HuGoLLLLL !!!!!!!!!!!!!!!
Enfrentamos um time do Flamengo que não  lembra em nada o 'Mengão' de grandes conquistas e mesmo assim tivemos muitas dificuldades na partida.
No segundo tempo o Avaí corrigiu a posição do seu capitão em campo e conseguiu fazer seu primeiro gol com HuGoL, mas não deu muito tempo pra comemorar. A zaga Avaiana falhou e o frágil Flamengo empatou.
Em bola disputada na área, o nosso Anderson Lopes não desistiu de uma jogada que parecia perdida e cruzou para ele, HuGOOOL, fazer o seu segundo gol. O gol que deu a primeira vitória Avaiana nesse Brasileiro.
Vagner ao final da partida fez das defesas espetaculares e evitou o empate Rubro Negro.
Temos muito pra melhorar e Kleina precisa fazer mudanças no time titular.
Não faltou vontade, garra e determinação.  Um pouco mais de qualidade na meia canxa (um companheiro para Marquinhos) e homem de área (um camisa 9) podem fazer o Avaí ter mais tranquilidade para buscar novas vitórias.
Nossas laterais melhoram bastante. 
Novamente um boa partida de Renan, Marquinhos Santos e Hugo.

sábado, 23 de maio de 2015

Sem o Emerson??

Foto: divulgação Avaí Oficial


Notícia divulgada pela mídia esportiva diz que o técnico Kleina está escalando o Avaí, para o jogo de domingo, sem o zagueiro Emerson.
Qualquer criança que tenha visto o jogo do Avaí contra o Inter percebeu que Emerson fez a diferença. Jogou muito bem durante os noventa minutos na zaga e ainda deu qualidade para nossa saída de bola.
Emerson é titular fácil, fácil, não apenas no Avaí, mas em muitos outros times do Brasileirão.
Quem tinha dúvidas sobre a sua condição física pode constatar que ele voltou a jogar com a mesma técnica, qualidade, inteligência e elegância que sempre teve.

Qual será o motivo dele não estar entre os titulares?
Kleina quer manter sua zaga titular, assim como manteve na Copa do Brasil o time do Geninho quando já havia no elenco jogadores novos que poderiam jogar?
Técnico bonzinho não se cria, Kleina. 
Esse papo de que "quem vinha jogando tem respaldo do treinador" e tudo e tal, no futebol não funciona. Jogam os melhores e ponto final.
Kleina, quem escala és tu (?) e não eu. Isso eu sei! 
Então, meu querido, vou dar uma corneteada: 
- Coloca os jogadores mais qualificados pra jogar e vamos buscar a primeira vitória nesse campeonato domingo contra o Flamengo. 
Com certeza a nossa camisa 4 tem dono.

quinta-feira, 21 de maio de 2015

AVAÍ



Tenho me assustado com a facilidade de alguns (principalmente 'Avaianos') em detonar, tentar diminuir, esculhambar e avacalhar com o Avaí Futebol Clube.
E mais ainda, me assustado com alguns 'birutas' que mudam de lado de acordo com  seus interesses pessoais e vantagens que pretendem adquirir.
Ora, críticas podem e devem ser feitas. Mas toda crítica deve estar estrutura em boas premissas, uma conclusão plausível e uma saudável solução. 
Crítica bem intencionada exige isso.
(principalmente de quem se diz Avaiano)
Imagine acusações.
Essa exige provas.

Está fácil demais para alguns linguarudos (advento de um mundo conectado onde o teclado aceita tudo e qualquer um), criticar tudo e todos e depois elogiar o que criticou anteriormente, e depois voltar a criticar tudo e todos, se enrolando em sua mesquinhez e acreditando, que ninguém está percebendo o 'joguinho' sujo.
Batem e assopram, batem e assopram, assopram, batem...
Exigem o que eles não tem: coerência
Exigem o que lhes falta: inteligência
Pedem o que não dão: respeito
Compram trabalho, mas nunca trabalharam de verdade.
Detonam a tudo e todos valendo-se do reflexo (em seu espelho) do seu mal caratismo: Pura mediocridade dos hipócritas.
Uma hipocrisia, temperada com mau caratismo, que reflete descaradamente um ego maior que a história, a glória e o nome do Avaí Futebol Clube.
Invejosos que se escoram no quanto pior melhor, mas quando vem o melhor eles exclamam: 
- É meu, quero pra mim!
Confundem o que não pode ser confundido (pela enorme diferença de tamanho, importância, dignidade, bravura e seriedade): O Avaí com eles mesmos.


segunda-feira, 18 de maio de 2015

É o Emerson, óbvio!



Dizem que torcedor é movido sempre pela paixão.
A paixão é cega.
Esse 'óbvio', não questionável e dogmatizado por especialistas, muitas vezes cai por terra, e mais facilmente ainda, nos gramados onde a bola rola. 
É a paixão (cega) do torcedor que elege ídolos, glorifica craques.
Sabiamente.

Digo isso porque desde a despedida de Emerson, do nosso Clube, a torcida Avaiana pede a sua volta. Exige o seu retorno, lamenta a sua saída e espera por ver seu desejo realizado. O retorno do seu ídolo.
Emerson passou pelo Coritiba e pelo Atlético Mineiro.
A um ano e três meses estava afastado dos gramados por lesão.
E eis que surge na mídia o seu nome como uma das possíveis contratações do Avaí para o Brasileiro. 
Os 'especialistas' questionaram a capacidade dele voltar após tanto tempo parado: Questionaram sua capacidade física e sua capacidade de ser o mesmo Emerson que vestiu a nossa camisa.
A cega torcida apaixonada comemorou a possibilidade. E ela tornou-se realidade.
Ontem ELE jogou vestindo a sua/a nossa camisa 4 e foi o Emerson do Avaí.

Quando eu o vi pisar no gramado, cruzei minhas mãos e rezei para Maria:
- Maria, interceda junto ao teu filho, nosso salvador Jesus, para que o nosso zagueiro faça um jogo seguro, uma partida fisicamente sem problemas e que seu retorno tenha a graça dos que se comportam guiados pelo força de vontade, pelo bom caráter, pelo talento e pela fé em Deus.
Emerson foi soberano.
Emerson é um Leão.
Emerson é craque.
Emerson é ídolo.
Quando o jogo terminou, gritei:
- É o Emerson, óbvio! Ave, Maria!
(cegamente apaixonada)

Foto original: Marcelo Oliveira/Agencia RBS