segunda-feira, 27 de março de 2017

Derrota em Chapecó

Foto: Jamira Furlani

Erros individuais dão os números do placar: 2 x 0 para a Chapecoense. Mas foi o todo de um time descaracterizado que provou a segunda derrota Avaiana no Catarinense.
Um Avaí com vários desfalques começou a partida sendo pressionado pela Chapecoense e essa pressão resultou num erro do nosso capitão.  Marquinhos 'piscou' numa saída de bola do Avaí e a Chapecoense marcou seu primeiro gol.
O Avaí, mesmo com um time sem vários titulares, após ter tomado o gol conseguiu sair do sufoco indo pra cima da Chape. Teve chances de marcar, mas não o fez. 
No final do primeiro tempo outra saída errada da defesa para o ataque e a bola sobrou nos pés do jogador da Chape que chutou de fora da área: nosso goleiro tomou um frangaço.

No segundo tempo Claudinei voltou com o mesmo time. O Avaí tinha do meio pra frente apenas Júnior Dutra com boa movimentação e buscando o gol. Muito pouco. Aos 27 minutos Claudinei fez sua primeira mexida: sacou Marquinhos e colocou Devid (da base Avaiana) e aos 39 colocou Vitor no lugar do Yuri e logo depois, Vinícius Pacheco no lugar do Lucas Otávio (que não repetiu o seu primeiro jogo: esteve mal durante a partida e deixou em apuros a zaga Avaiana com suas saídas erradas da defesa para o ataque).
Claudinei tinha vários titulares fora por lesão ou cartões amarelos.  Mas eu não deslocaria Alemão da zaga para a lateral. Também acho que demorou muito pra mexer e quando mexeu surpreendeu com a estréia de um jogador da base num jogo difícil; assim como foram tardias a saída do time do Lucas Otávio e a entrada do Vinícius Pacheco. 
Acredito que a comissão técnica Avaiana, a essa altura do campeonato, já tem condições de avaliar corretamente os jogadores que podem e devem vestir a camisa Avaiana no Brasileirão, assim como as posições que precisam de reforços.
Quinta a luta continua e é contra o JEC em casa às 19:30.
#Vamosembuscadataça

quarta-feira, 22 de março de 2017

Dazumbanho, mô quirido!

Fotos: Jamira Furlani

Depois de um primeiro tempo irreconhecível e estar perdendo por dois a um, Claudinei reconheceu que Renato ainda não está pronto pra jogar no Avaí. No intervalo o bom técnico Avaiano colocou o estreante Lucas Otávio e o Avaí começou a trilhar o caminho da virada.
Capa chutou em gol, a bola foi desviada pelo zagueiro do Tubarão e entrou. Esse gol no primeiro tempo deu esperança a torcida Avaiana, e o Avaí não nos decepcionou.

Com a mexida correta no intervalo o time da Ressacada foi pra cima do Tubarão. 
Mas Claudinei errou na substituição seguinte ao tirar de campo o lateral Gustavo deslocando Lourenço para lateral e colocando em campo Vinícius Pacheco. O jogador que entrou foi o certo, mas o que saiu foi errado. Tanto foi errado que Claudinei consertou tirando Lourenço, passando Alemão da zaga para lateral e colocando em campo o jogador Gustavo.
Marquinhos, o capitão e ídolo Avaiano, fez de cabeça o gol do empate (jogou muita bola o galego).
Lucas Otávio deu nova vida ao meio campo e o Avaí cresceu em campo a cada minuto do segundo tempo. E não deu outra. Com Vinícius em campo e Alemão atuando de lateral, o Avaí mostrou que é superior ao Tubarão e chegou ao gol da virada pelos pés de Denilson 'Pé de Valsa'.
Um jogo que mostrou o acerto de Claudinei ao indicar o baixinho Lucas 'Balduino' Otávio para contratação azurra e mais ainda, que Claudinei não é cabeça dura. Sabe reconhecer seu equívocos porque conhece do riscado.

Muito pra trabalhar e melhorar para o Brasileiro. Mas a volta dos titulares que estão fora por lesão e a chegada de jogadores, nos credenciam a ir buscar mais um título catarinense.
Na raça e na vontade de todos em campo, na qualidade de Marquinhos, na competência do Claudinei e em noite de homenagem ao aniversário da nossa linda Florianópolis, o Avaí fez um jogo emocionante na nossa linda capital.
Parabéns FloripAzul, sua linda. O nosso Avaí te dedica essa vitória: De virada é mais gostoso!
#Floripa344Anos
#VamosEmBuscaDaTaça

Escalação do Avaí:




domingo, 19 de março de 2017

Leões não morrem na véspera



O nosso Avaí conquistou mais uma vitória no catarinense jogando um bela partida diante do Metropolitano em Blumenau.
Além da vitória que recoloca o nosso time na briga pela conquista do returno, mostrou aos descrentes que o Leão não morre na véspera, muito menos o seu ídolo maior.
Com gols de Júnior Dutra (2), do M1t0 (em cobrança magistral de uma falta) e outro de Vinícius Pacheco (que entrou no segundo tempo), o Avaí goleou seu adversário e mostrou mais um jovem jogador: Lourenço.
Ainda com dificuldades pela falta de sua dupla titular de volantes e Caio César achando que joga muito (quando deixar de se postar como craque vai mostrar um futebol mais qualificado), a vitória foi incontestável.
Manter o foco e a união do grupo, continuar trabalhando sério e não dar ouvidos pra 'secadores' que se manifestam como 'profetas do apocalipse' diante de uma derrota, a luta pelo returno é possível e vamos brigar por ela até o fim.
A disputa agora é pelo estadual! 
Se manter na luta e não deixar de analisar as peças que serão necessárias para qualificar o elenco na disputa do brasileirão é o caminho a seguir.
#VamosEmBuscaDaTaça
A foto de Patrick Rodrigues/Agencia RBS, é significativa: o ídolo (desfocado pela visão curta de alguns) é parte fundamental dessa equipe. 

domingo, 12 de março de 2017

Avaí conhece sua primeira derrota no Estadual

Avaí 2 x 3 Criciúma - Foto: Jamira Furlani


O nosso Avaí perdeu seu primeira partida no estadual.
Saímos vencendo com um gol do Denilson, mas a lesão do Rômulo fez Claudinei repetir o erro que havia cometido no jogo contra o Internacional de Lages. Adiantou Gustavo, que estava bem jogando como lateral, e colocou em campo Léo. Não deu certo novamente. Contra o Inter nos custou um empate e hoje contra o Tigre, colhemos nossa primeira derrota.  O Criciúma virou a partida. Claudinei tem muito crédito e claro, tem que usar esse returno para observar e concluir o que falta para completar o seu elenco que jogará a série A e quais os jogadores, do atual elenco, não poderão participar do Brasileirão por deficiência técnica.
Durante o segundo tempo ele, Claudinei, tentou arrumar o estrago. Colocou Vinícius Pacheco e Yuri. O Avaí chegou ao empate em cobrança de pênalti de Júnior Dutra, mas com um gol contra do Betão e o Criciúma fez seu terceiro e deu números finais a partida.
Durante todo o turno o Avaí havia tomado apenas 3 gols. Hoje no primeiro jogo do returno tomou 3.
É ficar ligado e focado para que os erros do jogo de hoje não se repitam.
Perder faz parte do jogo, mas acredito que se o nosso técnico não tivesse se equivocado na substituição do Rômulo, o Avaí poderia não conhecer a sua primeira derrota hoje.
Bola pra frente, temos um bom técnico e a certeza de que com um elenco que está sendo qualificado, terá mais opções de jogo e de substituições. 
#VamosEmBuscaDaTaça

domingo, 5 de março de 2017

Invictos: Vamos em busca da outra taça!

Elenco e comissão técnica do Avaí com a taça do primeiro turno.
Foto: Jamira Furlani

O nosso Avaí conquistou invicto o primeiro turno do catarinense 2017.
Jogando com um time reserva, o Avaí empatou com o Internacional de Lages num bom jogo na Ressacada.
Agora é focar no returno e também aproveitar para ouvir o Claudinei sobre contratações pontuais necessárias para a disputa do Brasileirão.
Um bom jogo do goleiro Douglas, do lateral Gustavo Santos e para nossa alegria, um bom jogo do Vinícius Pacheco que retornou após 9 meses parado. Além de se movimentar bem na partida, fez o gol Avaiano. Isso é muito positivo para todo elenco.
Arbitragem horrorosa! Cuidado com eles no returno, Avaí!
Devemos continuar focados para a conquista do returno. Seria um feito histórico.
Parabéns aos jogadores, comissão técnica e a nossa torcida por essa conquista que nos garante como finalistas do campeonato catarinense.
Mas mesmo tendo já a sua vaga garantida, ganhar o returno é possível.
#VamosEmBuscaDaOutraTaça

quarta-feira, 1 de março de 2017

A quarta foi de cinzas!

Foto: Jamira Furlani

Um primeiro tempo muito ruim custou ao Avaí a vitória durante os noventa minutos.
Dois chutes foram tentados de fora da área pela Luverdense... o terceiro entrou.
A meia cancha com Renato e Ferdinando não funcionou novamente. No Clássico já foi um problemão. Fora isso, o goleiro deles foi feliz nas defesas que os chutes dos Avaianos exigiram.

No segundo tempo Claudinei consertou um pouco. Sacou Renato e Diego Jardel (que também não estava bem no jogo), colocando em campo Caio César e Júnior Dutra. O Avaí foi pra cima da Luverdense e empatou num rebote do goleiro em chute do Marquinhos. A bola sobrou para Júnior Dutra e esse fez a bola beijar a rede.
Claudinei demorou para tirar Ferdinando. Mas o Avaí continuou indo pra cima. Mesmo com as boas atuações de Betão, Alemão e Marquinhos, com o crescimento do time nas entradas de Dutra e Caio, e ainda de Meneses no lugar de Ferdinando, o Avaí não conseguiu a virada porque o goleiro adversário continuou pegando tudo.
Nos pênaltis Marquinhos, Rômulo e Leandro Silva cobraram mal e o Avaí foi desclassificado da Copa do Brasil. 
Deixamos de ganhar o jogo pelo péssimo primeiro tempo e pela boa atuação do goleiro. E deixamos escapar a classificação nos pênaltis porque 3 dos nossos não foram competentes nas cobranças.
6 meses sem percalços sérios, o Avaí hoje deixou escapar uma classificação onde tinha tudo pra conquistar. Tinha mais time, mas errou na escalação e não foi competente na cobrança dos pênaltis. 
Quarta de cinzas (mas só até a meia noite, amanhã é outro dias)!
#Vamosembuscadataça

sábado, 25 de fevereiro de 2017

Medellín é Azul: A TAçA é nossA!!



Se poupando no primeiro tempo e se soltando no segundo, o Avaí sagrou-se campeão com uma rodada de antecedência do primeiro turno ao vencer o Almirante Barroso por 3 x 0.
Alemão (2 gols) e Rômulo (1 gol) fizeram o carnaval ser Azul em todo estado.
Dizer o quê?
Dizer É CAMPEÃO!
Um turno perfeito!
E vaga na final!
A taça Atlético Nacional de Medellín é nossa!
Vamos em busca da segunda taça e do campeonato.
Urra, Leão

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Clássico tecnicamente fraco: 0 x 0

Foto: Jamira Furlani/Avaí FC

O Avaí não conseguiu imprimir seu ritmo de jogo no clássico de hoje.
A falta de seus dois volantes influenciou muito na queda de rendimento e consequentemente, na estratégia de jogo que o Avaí vem usando desde o ano passando.
Leandro Silva e Capa quase não subiram porque foi preciso proteger a defesa pela falta dos volantes Judson e Luan,  Diego Jardel muito escondido no jogo e Marquinhos bem marcado, não permitiu ao Avaí dar as 'escapadas' para o ataque na busca de Denilson e Rômulo como vem fazendo durante todo o catarinense. 
O Figueirense teve mais posse de bola (o Avaí sempre dá a bola para o seu adversário) e teve duas chances claras de gol com duas grandes defesas do goleiro Avaiano. O Avaí teve uma única chance clara de gol em cobrança de falta do capitão Marquinhos Santos com uma excelente defesa do goleiro alvinegro.
Não caiam na esparrela da mídia de que o Figueirense jogou muito. É um exagero com a intensão de reabilitar no campeonato o time do estreito. Foi o Avaí que jogou mal, e como eles são muito ruins, não souberam ganhar o jogo. Prestem atenção na mídia: eles vão enaltecer o Márcio Goiano pelo "jogão" do time dele. Ora, a gente sabe que ele não é o mágico de Oz. 
Continuamos na liderança em busca do título do turno e o time deles, sem chance dessa conquista.
Um clássico fraco técnicamente porque o time que sabe jogar bola, não jogou. E não foi porque o Goiano transformou o time deles numa seleção. Foi porque o Avaí não soube se postar e jogar taticamente sem Luan e Judson em campo e inteligentemente quando percebeu isso,  administrou o jogo porque o empate lhe era favorável. 
Foi isso!
#Segueolíder

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

'O Jogo'

"O Avaí é minha vida." Marquinhos Santos
(Foto: Cristiano Estrela / Agencia RBS)

Quem pode escrever sobre o que vai acontecer num clássico antes dele acontecer?
Pode-se apenas escrever sobre os que já foram jogados, mas em nada que se diga haverá alguma chance de se acertar o que irá acontecer no que está por vir.
Estatísticas, prognósticos, favoritismos, posições na tabela, atual momento dos Clubes e tudo e tal... esquece, apaga, deleta e aguarda.
São partes do momento atual, mas jamais estruturam o tamanho do que está por vir.
O clássico não se deixa antever nunca.
O clássico não se deixa aprisionar na véspera por nenhum profeta, pitonisa, mãe Dinah ou por qualquer conhecedor e estudioso do futebol.
Mas é sempre o mais falado, o mais esperado, o mais espetacular jogo de futebol.
Falamos nele e sobre ele muitos dias antes, falaremos muitas décadas depois e a história registrará seus números em negrito. Suas jogadas se eternizarão e seus protagonistas para sempre serão heróis ou vilões. 
Esse é 'O Jogo'.
Vamos jogá-lo! 
#VaipracimadelesLeão
#Vamosembuscadataça
#AvaíÚnicaPaixãoPossível

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Baile matutino #segueolider

Foto: Jamira Furlani/Avaí FC

Quem esperava um Avaí menos compactado em decorrência dos desfalques, errou.
O Avaí foi o Avaí do Claudinei e desse grupo que demonstra muita união.
O melhor jogo desse ano foi o dessa manhã super quente de domingo.
Um horário cruel tanto para os atletas quanto para a torcida.
Mas o Leão soube vencer um bem postado Brusque usando novamente a obediência tática e a garra para vencer.

Judson gastou a bola na proteção a zaga, Júnior Dutra deu movimentação e qualidade no ataque (participou da jogada do primeiro gol e fez o segundo), Marquinhos o cérebro consciente de sempre (uma pena duas bolas do craque terem beijado desavergonhadamente a trave e não a rede), Ferdinando deu conta do recado, Gustavo esteve perfeito na lateral e Denilson-Pé-de-Valsa... dançou novamente.
Um Betão firme e líder na zaga, Alemão (cometeu apenas um erro ao tomar nas costas um contra ataque do Brusque que resultou no gol do nosso adversário) esteve novamente bem na zaga e João Paulo, esteve melhor que nos jogos anteriores. Um jogo de força de vontade, de inteligência tática e de muita muita vontade de vencer de todos que pisaram no gramado escaldante da Ressacada.
Avaí 2 x 1 Brusque.

Quarta tem Clássico O único clássico catarinense.
Imperdível, inimitável, inigualável e polêmico.
Vem pra Ressacada porque vamos em busca da taça!