sábado, 27 de junho de 2015

Erros no início final com derrota

Eltinho esteve bem na partida
Foto: Jamira Furlani

Antes mesmo do relógio marcar 10 minutos o Avaí já perdia por dois a zero para o tricolor gaúcho.
Denner, nos primeiro segundos da partida, perdeu a bola no campo do Grêmio ela foi lançada para o ataque, Nino Paraíba erra na defesa ao não interceptá-la e o time gaúcho marca o seu primeiro gol. Aos nove uma falta bem cobrada, que contou com a 'encolhida' do volante Adriano que se abaixou na barreira, determinou o segundo gol gremista. 
Esse placar me impossibilitou saber o por que da escalação com 3 zagueiros para jogar com o Grêmio em nossa casa. Se Kleina tinha um motivo ele foi por água a baixo rapidamente. Denner apagado; uma meia cancha sem pegada e sem a menor criatividade nos deixou sem caminhos para enfrentar um adversário com pouca qualidade.

Ainda no primeiro tempo Kleina colocou Pablo em campo e arrumou ao menos a pegada e a disputa pela bola na meia cancha, que não até então não havia. 
Mas foi somente com a entrada do Juninho, no segundo tempo, que o Avaí começou a ter consistência e criatividade no meio;  os laterais Avaiano começaram a criar jogadas de profundidade, mas os atacantes estavam sem inspiração. 
Numa arrancada do Eltinho, que esteve muito bem durante os noventa minutos, ele foi derrubado na área, pênalti. Anderson Lopes cobrou e fez o gol Avaiano.
O Avaí passou a dominar a partida com mais posse de bola e com boa participação no ataque de seus dois laterais. Esse domínio não foi suficiente para alcançar, ao menos, o empate. 

Gostei muito do Eltinho, Nino Paraíba, Juninho e Pablo. Por incrível que pareça o Avaí  atualmente precisa do Pablo.  A entrada dele arrumou a marcação na meia e sua voluntariedade, na disputa pela bola perdida, mudou o jogo. 
Juninho, mesmo jogando pouco tempo, mostrou que tem mais qualidade como meia armador do que Denner. Merece ser melhor aproveitado.
Um jogo perdido em decorrência dos dez minutos iniciais.
O galego faz falta e Edu Costa 'velhinho'... Se aposentou!

sexta-feira, 26 de junho de 2015

"Você não pode relaxar"



Na partida de amanhã (27), o Avaí recebe o Grêmio, às 16h na Ressacada, oportunidade para Eltinho reassumir a titularidade, já que seu companheiro Romário está suspenso pelo terceiro cartão amarelo. 

“Num campeonato como o Brasileirão, você não pode relaxar, senão os adversários passam por cima. Enfrentamos o São Paulo na última rodada e agora já temos pela frente o Grêmio, outra grande equipe do futebol nacional. Precisamos sempre entrar em campo ligados e com disposição para somar todos os pontos possíveis. A semana foi de trabalho forte para encararmos de igual para igual o Grêmio. Será mais um jogo difícil, mas temos totais condições de sair com a vitória”, declarou o lateral Eltinho.

Nota da blogueira: 
Eltinho tem a chance de mostrar a Kleina que merece a titularidade. Num jogo em casa contra um adversário sempre difícil o lateral, com três passagens pelo nosso Clube, com certeza vai querer provar que tem futebol para isso. Sempre é bom uma 'briga' justa entre os jogadores do elenco pela titularidade no time. Querer mostrar serviço, querer ser titular faz parte da vida profissional dos jogadores que tem caráter e levam a sério a sua profissão e o Clube que defendem.
Bom jogo, Eltinho!

Fonte da entrevista e foto: AV Assessoria de Imprensa

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Indomável Leão - A mística do 'faz coisa'

Capa e contra capa do meu livro


Já está no forno, para lançamento em setembro, o livro que escrevi contando  uma das maiores façanhas de tantas que fazem parte da nossa história, que torna o Avaí singular em suas conquistas e glorias.
O Livro que descreve com puríssima paixão e muita mística, o acesso conquistado pelo Leão da Ilha, no último jogo de 2014, para a elite do futebol Brasileiro.
(As fotos publicados no livro são da Jamira Furlani)

quarta-feira, 24 de junho de 2015

MANCHA (DN)Azul


A maior torcida Avaiana;
A torcida que se faz presente sempre;
A torcida dos concebidos Avaianos;
Essa tem DNAzul! 

terça-feira, 23 de junho de 2015

Eduardo Avaiano Costa: Não fiques longe do nosso Avaí

Foto: Valente/LancePress

Ver torcedor jogando pelo Clube que ama é raro, raríssimo, nos tempos de hoje.
Eduardo Costa era um desses poucos profissionais sobreviventes da (e pela) paixão clubística.
Volante de qualidade, jogador de seleção, profissional que entra para a história do futebol brasileiro e fez questão de escrever suas últimas linhas, em campo, vestindo a camisa do seu Clube do coração.
Hoje o nosso Edu anunciou sua aposentadoria.
Perdemos nós, os Avaianos e o nosso Clube:
- O Clube Dele!
Sei que muitas vezes ele atuou com dores e seu joelho terminava inchado ao final das partidas, mas 'Eduardo Avaiano Costa' sempre que esteve em campo, vestindo a nossa camisa foi um guerreiro, um Leão,  um legítimo DNAzul. 
Confesso-me triste por saber que jogadores com amor a camisa teremos poucos, pouquíssimos daqui pra frente. Essa escassez de torcedor-jogador já faz e fará muito mal ao verdadeiro espírito do futebol.
Em decorrência da sua aposentadoria os Deuses do Futebol acinzentaram, o naturalmente azul, céu Ilhéu. Esses sabem das coisas.
Eduardo és Avaiano, eu sou Avaiana, nós somos Avaianos. 
Então eu te peço:
- Não fiques longe do nosso Avaí!

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Desabafo do goleador

Foto: FELIPE RAU/ESTADÃO


- "André Lima vem trabalhando sempre com muita vontade e determinação e se dedica integralmente aos treinamentos. Sem reclamar. Trabalha com seriedade." 
-  "É um jogador de grupo."  
Sei disso, a muito tempo, porque conversei com algumas pessoas de dentro do Clube sobre esse profissional e foram esses elogios, citados acima,  que ouvi sobre ele.
Elogios que  podem ser comprovados observando-se a postura dele cada vez que entra em campo saindo do banco de reservas. Um jogador que participa ativamente do jogo.  
Jogador com faro de gol precisa de sequência de jogos para render tudo que pode. O desabafo do artilheiro, após o término da partida, mostra sua gana e seu desejo de continuar trabalhando para alcançar o seu ideal: ser o centro avante titular do Avaí.

- Mais uma vez calei a boca de muita gente. Infelizmente falam um monte de besteira, um monte de inverdades, mas eu continuo no meu canto, quieto e trabalhando, para dar resultado quando tenho a oportunidade. Tem dia que não vai, isso é normal. Estou trabalhando (para voltar a ser titular). Desde o início do ano eu venho dizendo que esse início seria difícil devido aos problemas que tive, mas aos poucos vou pegando confiança. Eu tento ajudar o máximo a equipe. Estou trabalhando para ajudar e o treinador não me tirar mais - declarou o camisa 99 Avaiano.

Foto: FELIPE RAU/ESTADÃO

domingo, 21 de junho de 2015

99 aos 89



Num primeiro tempo onde o Avaí optou por apenas se defender, o São Paulo pressionou bastante e numa única falha da defensiva Avaiana, o tricolor fez o seu gol no início do segundo tempo.
O jogo continuou como no primeiro até que Kleina resolveu mexer na equipe. 
A entrada de Rômulo, André Lima e Eltinho deixou o Avaí com mais força ofensiva. Marquinhos que no primeiro tempo jogou muito adiantado, voltou para sua posição de origem; Rômulo deu mais qualidade a meia cancha; André Lima segurou a zaga São Paulina e disputou todas as bolas na frente e Eltinho, melhorou a lateral quando entrou no lugar do Romário.
Com as mudanças o Avaí começou a dominar o jogo enquanto o São Paulo recuou para jogar no contra ataque. Aos 44 minutos numa bela trama com Eltinho, Marquinhos, Rômulo e Eduardo Neto, num erro da zaga São Paulina, a bola sobrou dentro da área para o artilheiro André Lima que girou com qualidade e empatou a partida.
Um bom resultado pelo que apresentou o nosso time no segundo: vontade, coragem e determinação. 
Aos 89 minutos apareceu o 99.
André Lima nos deu um empate merecido.
Ótimo resultado!

quinta-feira, 18 de junho de 2015

Emerson e Renan

Foto: André Palma Ribeiro


Nunca duvidei que o retorno do nosso zagueirão reforçaria, com sua qualidade e profissionalismo,  o nosso Avaí Futebol Clube.
Emerson tem demonstrado sua qualidade e sua capacidade técnica em todos os jogos que participou desde seu retorno aos gramados após um ano afastado.
Com certeza seu comportamento responsável fora de campo e seu profissionalismo, somados a sua incontestável qualidade técnica, são responsáveis por seu desempenho vestindo a camisa Avaiana.
Seu ótimo desempenho defensivo no clássico foi temperado com um drible desconcertante pra cima do adversário. Coisa de quem sabe 'conversar' com a redonda.
Emerson é um Leão e seu retorno tem que ser comemorado todos os dias.
Escrevo sobre esse talento consagrado para chegar a um craque em potencial: Renan
Renan tem sido a revelação Avaiana desse ano.
Desde já torço para que esse 'menino' possa se inspirar em homens como esse que acabei de elogiar acima. Porque sei que o camisa 4, o Emerson, deve e pode ser um exemplo para esse talento que o Avaí vem revelando para o futebol brasileiro. Renan é um volante completo. Como exige o futebol jogado em alto nível.
Renan: nesse time tem um cara que pode te orientar e ser um exemplo pra ti.
Pés no chão, humildade, seriedade, trabalho, profissionalismo e caráter dentro e fora de campo.
Tens muito caminho pela frente.
O sucesso não chega só pelo talento!

domingo, 14 de junho de 2015

Da série 'Perguntar não ofende'

Avaí entrou com a faixa(colocado no chão para o hino nacional) contra trabalho escravo

Jogadores com a camisa contra o trabalho escravo e os mascotes

Marquinhos com a faixa da Paz


Os dois Clubes haviam combinado, em nome do Clássico da Paz, iniciativas pela paz e contra o trabalho infantil. Como perguntar não ofende:
- Por que o time do Figueirense não usou a camisa da paz na entrada? 
- Por que o Figueirense não entrou com a faixa contra o trabalho infantil?
- E as crianças que deveriam entrar com eles no gramado por que  eles não permitiram a entrada?(Seriam 11 crianças pra cada lado com a camisa contra o trabalho infantil)
- Por que  o capitão do Figueirense não usou a faixa de capitão escrita PAZ?

As fotos comprovam que o Avaí cumpriu tudo que havia combinado com o seu co-irmão.

Fotos: Jamira Furlani/Avaí Oficial