terça-feira, 30 de maio de 2017

Enquanto 2 chegam na ilha.. 1 foge de táxi no estreito!

É OFICIAL!
Juan, lateral de 35 anos, ex-Flamengo e São Paulo é o novo reforço do Leão para a temporada! Juan estava atuando pelo Goiás.



Atacante Willians é mais um reforço anunciado:
O presidente Francisco Battistotti confirmou o acerto agora com o atleta, que estava no Atlético-GO.
O atleta de 29 anos e 1,82m chega à Ressacada nesta quarta-feira, às 14h. Passagens por vários clubes brasileiros e até exterior.



Enquanto dois desembarcam no sul da ilha, no estreito teve gente embarcando num táxi e fugindo com uma 'penosa' molhada.
Relato da fuga foi feito pelo gerente de futebol do time doladelá após derrota para o glorioso BOA Esportes. Já estou até ouvindo o Miguelzinho dizer: "Conta aqui pro bonequinho!!!"
Dou um prêmio pra quem entrevistar o taxista!
#crisenoestreito 


segunda-feira, 29 de maio de 2017

A direção precisa reagir com inteligência e ousadia


Falta muita coisa para o Avaí poder enfrentar seus adversários na série A.
Elenco fraco e um técnico que joga sempre com o mesmo esquema; que demora pra mexer e quando mexe, tenta sempre a mesma coisa. Não muda a maneira de jogar do seu time. Nem se arrisca nunca. Será que o Claudinei não quer desarrumar o desarrumado? 
Uma linha de volantes fraca: não marca e não sabe sair jogando. Judson ainda conhece um pouco do riscado, mas o Luan... jogando com um meia isolado (precisamos ter alguém que encoste no camisa 10  com condições de ajudar  a tocar a bola com mais qualidade na saída da defesa para o ataque), faz do Avaí presa fácil.  Basta ver uns 15 minutos do Avaí em campo para que qualquer técnico saiba jogar e vencer o nosso time. 
Chapecoense enquanto quis jogar colocou o time do Claudinei na roda. Fácil, fácil.
No intervalo Claudinei voltou com o mesmo time e o mesmo esquema (as vezes com as mesmas peças se muda o esquema, mas nem isso ele fez).  A diferença para o primeito tempo é que a Chapecoense voltou pra cozinhar o jogo. Tava fácil porque o Avaí já estava frito.
Claudinei quando mexeu tirou o Marquinhos para entrado do Diego Tavares; tirou Denilson e colocou Lourenço e por fim, tirou Judson e colocou Lucas Otávio.
Preciso dizer que mesmo com a Chapecoense já desinteressada não apresentamos nada de novo ou de bom?
Fritados, humilhados e sem a menor condição de enfrentar seu adversário, o nosso Avaí precisa reagir e reagir com inteligência e muita ousadia.
Terceiro jogo e quantos gols o Avaí marcou? Zero!

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Carências crônicas provocam derrota

Foto: globo.esporte.com

Infelizmente nossas carências ainda não foram sanadas com contrações necessárias para uma disputa de série A.
Um São Paulo jogando pressionado conseguiu abrir o placar com 10 minutos do segundo tempo. O Avaí já havia perdido uma chance de gol numa bola que sobrou na entrada da área para Marquinhos. O nosso camisa 10 chutou mal. Escolher não chutar colocado como sempre faz. Optou por um chute forte e errou.

O Avaí continuou jogando como sempre jogou esse ano. Mas com dois problemas a mais: Luan esteve perdido na proteção a zaga e Capa não marcou tão bem como costuma fazer. O resto tudo igual: sem ninguém encostando no Marquinhos; dando a bola para o adversário; sem um camisa nove nato; sem se arriscar com substituições mais cedo e sem mudança tática. 
Claudinei mexeu depois dos 30 minutos do segundo tempo para a entrada de Lourenço e Simião. Saindo Judson e Tavares. O Avaí melhorou um pouco, mas aí Claudinei fez a terceira mudança e errou. Tirou Marquinhos de campo, o único que cria na meia cancha e dá sequência nas jogadas na saída para o ataque, para entrada de Yuri e o São Paulo, que estava jogando todo o segundo tempo pra manter o placar, avançou seu time e criou 3 chances claras de gol. Duas com boas defesas de Maurício e na terceira ampliou o placar.

Elenco fraco para uma série A. Precisamos de mais qualidade na meia, principalmente com volantes que saibam sair jogando e precisamos de um camisa 9. Um  homem de área. Fica difícil até analisar, mesmo com sua demora para fazer mudanças, as escolhas do Claudinei. Seu elenco não é de série A.
Denilson apagado, Diego Tavares não empolgou e Rômulo perdeu uma chance de gol no segundo tempo. Alemão e Betão estiveram bem na defesa. 
O São Paulo teve duas bolas e guardou. O Avaí teve duas chances e perdeu.
Pratto e Araújo marcaram para o São Paulo.
Júnior Dutra faz muita falta.
Contratações urgentes!


segunda-feira, 15 de maio de 2017

'Operado' em casa com tesoura

Foto: Cristiano Estrela / Agencia RBS

O nosso Avaí fez seu primeiro jogo no brasileirão 2017 e ficou no zero a zero com o Vitória da Bahia.
Utilizando o mesmo time do catarinense e o mesmo esquema de jogo, o Avaí ofereceu a bola para o seu adversário e o Vitória agradeceu. Agradeceu porque veio nitidamente em busca de um empate e fez, com essa posse de bola, não apenas o tempo passar como acertou duas bolas na trave. 

O Avaí teve um chute perigoso do Capa no primeiro tempo e sem criação na meia, com os atacantes Denilson e Rômulo jogando muito recuados, manteve um Júnior Dutra, guerreiro, na frente sem receber muitas bolas decisivas. Exceto uma bola que ele, no segundo tempo, entrou na área e sofreu um super-power-ranger pênalti não marcado pela arbitragem.
#operadoemcasacomtesoura
Claudinei fez substituições, mas não mudou o esquema tático e muito menos o placar.
Zero a Zero com estreias de Simião e  Diego Tavares, que por jogarem pouco tempo não podem ser avaliados com seriedade. 
Novamente uma partida perfeita da nossa dupla de zaga.

Segunda-feira vamos enfrentar um incógnito São Paulo. Um jogo que pode fazer o esquema do Claudinei voltar a funcionar. Fechadinho, jogando por uma escapada pelas laterais para um bom cruzamento; um lançamento certeiro para um chute certeiro ou uma bola parada pode nos dar 3 pontos. Fora contra os grandes é aceitável, em casa contra os times que tem o nosso tamanho, precisa ser revisto quando o adversário vem claramente buscar o empate.

domingo, 7 de maio de 2017

O Avaí jogou como É!

Jogadores do Avaí recebem a medalha de Vice campeão Catarinense 2017
(Foto: Jamira Furlani)

O Avaí jogou como é!
O Avaí foi a Chapecó e mostrou sua alma, elevou sua história e ao receber o título de vice campeão, fez o título maior se erguer do nosso tamanho. Somos grandes mesmo quando somos o segundo melhor de Santa Catarina. Somos honrados porque vencemos sempre em campo, perdemos sempre em campo e conquistamos sempre em campo.
Falar do jogo de hoje é falar do Avaí Futebol Clube.

Escrever sobre esse campeonato é doloroso porque fomos 'derrotados' em casa, mas a dor é absorvida pelos fortes. E o nosso Avaí, ao se erguer do golpe caseiro vencendo o jogo de hoje, fez da conquista do vice campeonato (na terra onde o 'mundo' todo torce  e ora), uma ode escrita com suor, glória, honra e paixão.
Esse é o Avaí, esse é o Vice-campeão Catarinense de 2017.
Esse é o Clube 16 vezes campeão Catarinense.
- Muito prazer, 'olhos do mundo': somos o Avaí Futebol Clube!

(permanecer no gramado para receber a premiação de vice campeão é só pra quem tem honra)

terça-feira, 2 de maio de 2017

Sim, Avaí!

Foto: Jamira Furlani/Oficial Avaí FC

Temos uma decisão domingo!
Todo Avaiano sabe: o Avaí é um Clube que jamais deixou de lutar por seus títulos dentro de campo.
Não vai ser diferente em Chapecó.
Porque é impossível para o Avaí ser diferente do que nasceu pra ser: O Time da Raça!
Está em nosso DNA, na nossa história, em nosso escudo, na nossa bandeira, no nosso hino, na nossa torcida, em todas as taças já conquistadas e em todos que vestem a camisa Avaiana em jogos decisivos.

Não estamos FORA DA disputa, estamos NA disputa.
Não vamos, porque nunca o fizemos, desistir na véspera.
Não estamos a deriva, temos capitão!
Não estamos mortos, somos eternos.

Sim, nós somos o Avaí Futebol Clube!
Sim, nós seremos Leões em campo!
Sim, nós vamos lutar até o apito final.
Sim, nós temos Estrela!
Sim pra nossa História!
Sim pra nossa Raça!
Sim para os nosso jogadores!
Sim pra nossa torcida!
Sim pra nossa Glória!
Sim, Avaí!